domingo, 20 de agosto de 2017

Você se contentar com pouco significa que é uma pessoa madura ou fracassada? - Luiz Felipe Pondé

Como vai o final de semana, guerreiros do milhão?

O meu vem sendo de muito estudo, tanto para concursos públicos quanto para o trabalho novo.

Mas eu não quero falar sobre isso nesse post. O que eu quero é compartilhar com vocês um vídeo do filósofo Luiz Felipe Pondé.

Tem tudo a ver com frugalidade, felicidade e independência financeira, assuntos que são recorrentes na finansfera!


E você, se contenta com pouco?

O que é pouco? O que é pouco pra mim, pode não ser pouco para você e vice-versa.

Eu acredito (PURO ACHISMO) que há algumas décadas atrás, todos, tirando os super-ricos, se contentavam com "pouco". 

O desenvolvimento do marketing e da publicidade e o crescimento financeiro do Brasil, nos fez querer ainda mais.

Por um lado pode ser bom, pois nos fez ser mais ambiciosos, por outro lado foi ruim porque nos fez sermos mais ambiciosos... 

Não sei onde ouvi isso, deve ter sido na faculdade, que muito antigamente (acho que até o começo do século passado) não havia esse objetivo de ser buscar a felicidade e a realização profissional e emocional como ideais de vida. Tanto é que as pessoas não tiravam fotos sorrindo, mas sempre sérias, carrancudas.

Como diz aquela página do decreto de sexta no Facebook, o objetivo era "Concentre-se em não morrer. Cumpra-se!".

Tenho repensado alguns hábito meus. Eu já não era um cara de gastar e agora creio que vou gastar menos ainda. Corte muita coisa depois de ficar desempregado. 

Netflix e Spotify agora fico na aba do meu pai e irmão, custo zero. TV a cabo demorei muito, mas cancelei. Não sinto mais falta. Vendi muita coisa que não usava mais no Mercado Livre. 

Sair final de semana? Só se for aniversário de alguém ou se for pra ir na casa de um amigo gastando pouco. Fora isso, prefiro ficar em casa vendo série e filmes ou lendo.

O único "vício" que me permito ter são o de comprar quadrinhos e livros, mas perto de algumas pessoas que eu conheço, não passo nem perto de ser viciado. Me controlo bem, embora para quem não tenha o hábito da leitura possa parecer muito.

Se eu fosse resumir esse vídeo do Pondé em uma frase seria:

Não seja escravo dos seus próprios desejos.



quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Tudo ao mesmo tempo agora

Cara, não é possível... eu estava desde abril de 2016 desempregado e finalmente consegui um emprego no final do mês passado. Em dois dias pintou uma oportunidade de processo seletivo via Linkedin. Hoje, pouco mais de uma semana no novo emprego, aparece outra oportunidade, também via Linkedin, pra ganhar fucking 5 mil golpes em outra empresa! No meu ramo isso é uma fortuna, infelizmente.

Estou gostando muito e aprendendo bastante na empresa em que eu estou agora. Além disso, no início do mês que vem vou fazer um concurso para o qual me julgo muito bem preparado e, em outubro, mais um outro, da mesma área.

Por que essas oportunidades de emprego tinham que aparecer tudo junto, agora, ao mesmo tempo? Mas que caralhos eu faço?

Se eu aceitar uma dessas novas oportunidades eu vou ter que me mudar para poder ficar mais perto do trabalho. E, mesmo assim, vai dificultar os meus estudos.

O meu maior medo é aceitar um desses novos empregos e daqui a 6 meses ser demitido. Nisso tudo aí eu perderia o meu emprego atual, que paga pouco, mas é legal e relativamente perto da minha casa, fico sem tempo de estudar e me ferro nos concursos e ainda vou ficar com uma pica de aluguel na mão.

Agora me digam, onde estavam esses empregos todos há um mês atrás? Que caralhos eu faço?


sábado, 5 de agosto de 2017

Como foi a primeira semana no novo emprego?

counter strike
The bomb has been planted. Terrorist wins!

Oi, pessoal!

Completei a primeira semana no novo job. Estou gostando do ambiente e do trabalho. Algumas considerações:

-O ambiente é leve. Praticamente só tem homens, então o clima de zoeira é constante. Na hora do almoço rola Fifa no Playstation 3 e Counter Strike em rede LAN (às vezes até fora do horário de almoço também). Ontem, por exemplo, umas duas pessoas ficaram vendo o episódio vazado de Game of Thrones depois do almoço;
.
.
.
-Falando assim, parece até que ninguém trabalha, né? Ledo engano. Nunca trabalhei em um lugar onde as pessoas fossem tão dedicadas a aprender sobre o seu ofício. Essa semana ficaram um tempão em reunião com um francês que mal fala português para conhecerem uma ferramenta nova para melhorar o trabalho que eles fazem. Isso tudo os empregados, o chefe mal apareceu lá essa semana. Às vezes o papo sobre SEO fica tão cabeçudo que eu me sinto sufocado com tanta informação e com vontade de sair correndo dali;
.
.
.
-Mas nem tudo são flores: a empresa paga TA, TR, VT, fornece lanche, mas o salário é baixo (R$2100, e acho que é o valor bruto ainda). Não tenho um gestor (na época de frila tinha, mas teve uma briga de sócios lá e um monte de gente se demitiu ou foi demitida, então não tem mais nenhum gestor). Eu acho isso péssimo porque não tem quem me orientar. Cada um lá faz os jobs de um jeito e estou tendo que me desdobrar para saber como se faz a parte técnica, conhecer o histórico dos clientes e decifrar os procedimentos internos e ainda fiquei com um monte de trabalho inacabado do cara que saiu e deixou a vaga dele pra mim. No primeiro dia, cheguei em casa tão exausto que parecia até que eu tinha feito musculação;
.
.
.
Com isso, estudei pouco essa semana para concursos, apesar de que eu estou ouvindo umas vídeo-aulas durante o trabalho. O basquetinho de sexta morreu pra mim, sem condições de ainda jogar um racha às 22h, ainda mais que é relativamente longe de onde eu moro;
.
.
.
Acreditem se quiser, no segundo dia de trabalho já recebi uma proposta para trabalhar em outro lugar! Novamente fui achado pelo LinkedinSó que esse lugar é longe pra porra, trânsito pra cacete. Eu teria que me mudar para mais perto do trabalho, só que os aluguéis são caros pra cacete! Mandei uma pedida de salário alta para os meus patamares, ficaram de analisar.
.
.
.
That's all, folks!

segunda-feira, 31 de julho de 2017

Fechamento | Julho/2017

Fala pessoal, tudo bem?

Faz tempo que eu não posto nada. Isso porque não tinha nada de interessante para contar. Tava seguindo aquela vidinha de concurseiro desempregado bancado pelos pais e que vive de frila merreca, estuda/vai na academia. Os investimentos indo devagar, quase parando. Confesso que às vezes bate uma angústia foda, principalmente porque esse mês cheguei a 31 primaveras. Pensei até em não comemorar.

Mas a vontade de ver os amigos, beber até não aguentar mais (detalhe, bebi pra cacete, não fiquei nem perto de estar bêbado e certa hora eu não via o momento de todos os meus amigos irem embora e eu poder ir dormir, acho que isso é a própria definição de envelhecer, rsss) e me divertir falou mais alto e, com grande ajuda dos meus pais, pude fazer uma festinha, sem excessos.

Troquei de academia, achei um crush novo (essas mulheres gostosas não usam série escrita, nem pra ver o nome dela na série e dar uma stalkeada online consegui), to com um corpo legal, minhas calças todas ficaram largas, tenho que usar o cinto no talo para elas não ficarem despencando. Mas agora vou engordar tudo de novo porque me chamaram para trabalhar. Sim, voltei a ser um "abençoado" pela CLT!
.
.
.
Foi aquela empresa do frila de uns meses atrás que me chamou para trabalhar. Gostei que foi super-rápido, me ligaram na hora do almoço, perguntaram se eu aceitava trabalhar lá por R$2100 + benefícios (VR, VA, VT, etc) eu aceitei e pronto, passa aqui amanhã pra acertar a papelada. Eu aceitaria trabalhar até por R$1500 de tão sem grana que eu estou.
.
.
.
Amanhã de manhã vou fazer o exame admissional e depois já começo os jobs. E pra que fazer mistério? Vou trabalhar com SEO, Search Engine Optimization. Gosto  muito dessa área, embora tenha pouca experiência profissional nela. Acredito que só me chamaram porque tem pouca gente interessada em trabalhar com isso. Por incrível que pareça, tem um cara que trabalha lá que fez engenharia de produção! O que tem a ver uma coisa com a outra? Não sei.

Vou tentar continuar estudando à noite, mas sei que vai ser difícil. Academia eu já desisti, não vai dar para trabalhar, encarar trânsito, estudar e ainda fazer academia. Vou tentar segurar a onda na alimentação mesmo.

Quanto às finanças...

Patrimônio em julho: R$39.714,62

Variação no mês: +1,66

Variação no ano: +10,57

Histórico: +2,59

Aporte no mês: R$0

Renda passiva em julho: R$115,61

quarta-feira, 31 de maio de 2017

Fechamento | Maio 2017: Troca de academia, tem emprego (só que não) e primeiro TED no Intermedium

Patrimônio em abril: R$38.561,32

Variação no mês: -1,0%

Variação no ano: +7,36%

Histórico: -0,39%

Aporte no mês: R$200,00

Renda passiva em abril: R$115,30



Olá, corredores da corrida dos ratos!

Nesse mês de maio segui firme e forte nos estudos para concurso público e também na academia. Falando em academia, lembram que eu falei no fechamento de abril que a academia que eu frequentava corria o risco de fechar por briga entre os donos ou mesmo má administração? Pois é, para a minha infelicidade, fechou. Estou frequentando a academia do sócio que rompeu a parceria e ela é bem perto da academia antiga.

Ela tem um ambiente legal, mas os aparelhos são inferiores e o salão de musculação é bem menor e tem muito mais alunos. Ir lá à noite é um inferno, então estou me obrigando a ir pela manhã, que é cheio, comparado à academia antiga, que era enorme e tinha  menos alunos, mas até que da pra malhar sem muito estresse. Muita gente da academia antiga foi pra lá, mas o meu crush, se foi, está indo pela manhã. Ela ia à tarde, entre 17h e 18h. Ou seja, bye, bye crush! O lado bom é que tem mais cremosinhas nessa nova academia, então logo, logo eu arrumo um novo crush!

Eu fiquei devendo conta a história do emprego que eu tinha conseguido via linkedin, né? Bom, foi mais ou menos assim: me ligaram me chamando para trabalhar numa empresa X. Durante a negociação, o dono da empresa me pergunta se eu aceito trabalhar uma semana como frila à título de teste. Como eu tinha pouca experiência prática nessa área, resolvi topar. O pagamento para um frila tão curto era bom.

Passou a tal semana, o cara que ficou sendo meu supervisor me avaliou positivamente. Pensei que o emprego era meu. Fui falar com o dono da budega e o cara deu uma de João-sem-braço total! Disse que agora não tinha emprego, que eles estavam decidindo se iam promover o estagiário deles, mas que o meu nome estava muito cotado para uma futura oportunidade dentro da empresa... nem o vale-refeição o fdp pagou! Disse que já tava incluso no pagamento! E não tava coisa nenhuma! Menos mal que eu só comi uns 3 dias fora e no resto levei marmita. Mas fiquei muito puto!


Passaram-se umas semanas e o fdp me ligou de novo, perguntando se eu não queria fazer outro frila, o mesmo trabalho de antes. Como eu tava precisando da grana, eu ia aceitar, só que o cara queria me pagar METADE do que tinha me pago antes, com o argumento de que eu agora ia fazer mais rápido o trabalho e que poderia trabalhar de casa. Mandei-o a pqp Disse que por esse preço eu não poderia aceitar a oferta e que se eu ia terminar mais rápido é porque eu tinha aprendido a fazer mais rápido, mas que a quantidade de trabalho ainda seria a mesma. Ele, educadamente, recusou.

Passados uns dias, o cara me ligou de novo e disse que ia aceitar pagar o mesmo valor de antes, HAHAHA! O paunocu não achou ninguém pra fazer o trabalho! Se fudeu! Quer pagar mixaria pra quem estudou e se especializou, tem é que tomar na tarraqueta! Fiz o novo freela, me pagou direitinho. Vamos ver se em junho ele me chama novamente, seria ótimo caso isso acontecesse.

Nesse mês ainda fiz a minha primeira transferência para o banco Intermedium. Paguei o boleto, caiu em menos de 48h. Depois transferi para a XP Investimento e não paguei nada de TED! Lindo, muito lindo esse tal de Intermedium! É excelente principalmente para quem investe apenas uns trocados, como é o meu caso. Nubank + Intermedium é só love!

Pra finalizar, ainda descobri, pelo Facebook, que tem um pessoal que organiza uma pelada de basquete todas às sextas-feiras em uma quadra pública relativamente perto da minha casa (a quadra, pra mim, também é novidade). Vou tentar ir nessa sexta ver qual é dessa peladinha, será ótimo fazer uma atividade física lúdica.

Ah, esse mês tivemos mais um escândalo político com a delação do JOESLEY (olho o nome desse fdp, só no Brasil pra alguém assim ter importância histórica e financeira) e, graças a isso, tivemos um circuit-break. Se quiser saber o que eu diz nesse dia (spoiler: nada) clique aqui.

That's all!

quinta-feira, 18 de maio de 2017

O que eu fiz durante o Circuit Break do dia 18/05/2017?


Eu não fiz nada de especial durante o Circuit Break da Ibovespa no dia 18/05/2017. Eu não investia em nada na última vez que isso aconteceu na bolsa de valores brasileira, em 2008. Em um primeiro momento, até pensei que isso seria bom e eu poderia comprar mais ações e FII's por preços menores, mas preferi seguir o conselho do Bastter e não fazer nada relacionado a investimentos no dia de hoje.

Fui à academia (e dei de cara na porta, a academia estava fechada, conto mais no fechamento mensal), almocei com a minha família, reclamei de eliminação vergonhosa do Flamengo na Libertadores ontem à noite, fui ao mercado (tudo caro, e agora vai piorar com a alta do dólar, ou melhor, com mais uma queda do real) e voltei pra casa para estudar para concursos públicos.

Mas de quanto foi o prejuízo hoje?

Eu nem achei que foi um prejuízo tão grande assim. Provavelmente vai piorar nos próximos dias, aí sim vamos ver o tamanho do buraco. Mas por hora, fiquei assim hoje, dia 18/05/2017.
 
ibovespa circuit break 18-05-2017

Como vocês podem ver, no acumulado do ano TODOS OS MEUS ATIVOS CONTINUAM COM VALORIZAÇÃO, com exceção da Cielo, que tinha um pequeno crescimento acumulado até ontem e que foi por água abaixo hoje.

Vejo muito gente boa criticando o Bastter, até com razão, mas pra grande maioria das pessoas, seguir os conselhos dele faz mais bem do que mal.

quinta-feira, 4 de maio de 2017

Caindo na real: eu mandei mal

O manual do concurseiro alexandre meireles

Não sei quem foi que me disse aqui nos comentários para baixar o PDF de um ebook ou artigo chamado "O Manual do Concurseiro", do Alexandre Meireles. Eu procurei nos comentários do meu último post sobre concursos públicos, onde desabafo após tomar uma trolha na prova do TRF-2, mas não consegui identificar a boa alma que me indicou essa leitura.

Esse artigo tem dicas valiosas de quem já foi aprovada em concursos dificílimos para a receita federal, um dos mais difíceis. A leitura é excelente, prazerosa e me fez mudar algumas coisas na rotina de estudos.

Por exemplo, eu não fazia resumos. No máximo eu anotava algumas coisas no caderno, mas nunca olhava novamente. Agora estou fazendo resumos em folhas em branco, formato A4 (segundo a Alexandre, folhas em branco são melhores do que folhas pautadas, pois o cérebro assimila melhor a informação sem as linhas), guardando tudo em uma pasta para ficar mais fácil o acesso para fazer revisões. Também estou usando canetas de várias cores para escrever porque, segundo o mesmo, também facilita a memorização. Estou esquematizando tudo o que eu posso.

Depois de ler esse artigo, também resolvi procurar um vídeo com a correção da última prova do TRF. Eu fiquei chocado como a prova não foi tão ruim como eu imaginei que havia sido. Das seis questões que eu acreditava que deveriam ser anuladas, apenas duas, no máximo três forçando a barra, poderiam ser anuladas segundo os professores do curso o qual eu assisti à correção. Ou seja, apesar a CONSULPLAN ser uma banca ruim, a prova não foi tão podre quanto eu imaginei. Me deixei levar pelo choro pós-prova e pela minha revolta com o meu próprio desempenho.  



Avaliando a minha preparação para a prova do TRF-2, percebi que o curso o qual fiz o coaching (ou estudo dirigido, sei lá o nome certo), o Ponto dos Concursos, pecou em um ponto fundamental em que o Alexandre aborda no livro: a alocação de tempo. Eles deram a mesma ênfase tanto às matérias de sustentabilidade e acessibilidade que, juntas, somaram incríveis uma questão, quanto à Processo Civil, que teve 5 ou 6 questões, sendo que essa foi a primeira vez que estudei CPC, Processo Penal, Direito Penal, Tributário, Previdenciário. Não foi a toa que CPC e Dir. Penal foram as grandes responsáveis por jogarem a minha nota lá pra baixo.

Agora, estou contando quanto tempo estudo de cada matéria e dando mais ênfase às matérias com maior peso. Por exemplo, se em um dia eu estudo três horas, eu gasto uma hora com português (matéria básica para qualquer concurso) e duas horas com direito constitucional, que vale mais pontos.

No momento, estou estudando matérias básicas: Direito Administrativo, Constitucional, Informática e Português. Quero revisar essas matérias inteiras antes de me decidir por prestar o concurso do TRT ou TRE e começar a estudar as específicas.

Quero finalizar dando o meu muito obrigado para quem me indicou esse artigo do Alexandre Meireles (ele é facilmente encontrado para download). Ele me deixou mais calmo e me fez reorganizar de forma importante os meus estudos. Muito obrigado e me desculpe por ter esquecido o seu nome!

sexta-feira, 28 de abril de 2017

Fechamento | Abril 2017: Academia, estudos e meu crush!

Patrimônio em abril: R$38.934,00

Variação no mês: -1,2%

Variação no ano: +8,95%

Histórico: +1,09%

Aporte no mês: R$600,00

Renda passiva em abril: R$110,74



Olá, corredores da corrida dos ratos!

Finalmente, depois de sei lá quantos meses, conseguir aportar uma merrequinha. R$600 golpes que foram todos direcionados à BRCR11.

Em relação à academia, estou ficando com um corpo legal. Atingi 70kg. Quando comecei a malhar, em janeiro, estava com uns 74kg se não me engano. Pena que ta rolando uma rádio-peão lá na academia e parece que um dos donos de lá vai sair do negócio e periga a academia fechar, porque o outro sócio é daqueles sanguessugas que não injeta grana e nem da às caras no lugar. Espero que não feche, gosto muito de lá e até já elegi uma menina lá como "meu crush"! rss, o mulher bonita, pqp! 1,65 mais ou menos, peitinhos pequenos igual umas perinhas, coxão e bundão proporcionais, cintura fina... ai, ai! Não é a tôa que tem homem que perde tudo e mais um pouco depois que casa e se separa de uma mulher dessas, toma um chá de buceta e aí já viu!

Quanto aos estudos, recobrei o ânimo depois da porrada que levei no TRF-2. A ajuda de um comentarista no meu último post foi bem importante, vou falar mais à respeito no meu próximo post.


E sobre a pseudo-greve-geral de hoje...

meme dollynho greve geral 2017 pt cut mst

Tirando os bancos, que adoram uma greve, vi tudo funcionando normalmente hoje. Pau no cu dos sindicalistas vagabundos!

Ah, tenho que contar sobre o trabalho que eu consegui (e já perdi). Mas isso da um outro post a parte.

terça-feira, 18 de abril de 2017

Reprovado no concurso do TRF 2: mais uma trolha para a coleção

Estava eu estudando agora pouco quando me lembrei que saía hoje o resultado parcial do concurso do TRF 2. Eu achei que tinha feito 35 pontos, podendo chegar a bem mais que isso se anulassem as questões foram do edital.

Bom, ou eu errei minhas contas (muito provável, já que sou um asno em matemática) ou anularam uma questão da prova de conhecimentos básicos e uma da de específicas, o fato é que fiquei com 38 pontos. Teria até ficado feliz se essa nota tivesse ao menos me aprovado para ter a minha redação corrigida, mas nem isso. Fui reprovado.

Eu fiz literalmente centenas de exercícios de matérias que não caíram e várias questões que caíram não estavam no edital... Fiz um curso muito caro e super focado pra esse concurso (o curso do Ponto dos Concursos), foram meses de estudo, fiquei desempregado só pra estudar.

Nunca fui convocado em nenhum concurso, mas fazia muito, mas muito tempo em que eu não era reprovado em um concurso e logo nesse, que foi o que eu mais estudei na vida, fui reprovado.
Não sei como me preparar melhor do que isso.

Nesse exato momento estou cansado, morto depois de mais um dia de trabalho, trânsito, ônibus, ter que ir ao mercado... pra fechar, a porra do chuveiro queimou...

Da muita vontade de desistir, mas aí eu penso, vou fazer o que da vida então? Viver o resto da vida ganhando 2k e pouco e sonhando em ganhar uma aumentozinho de salário? Rezar pelo amor de deus pra não ser demitido na próxima crise ou quando o cliente trocar de agência?

Se eu tivesse colhões eu tentaria empreender alguma coisa. Mas como não tenho, só me resta juntar os cacos e continuar estudando. Ou me resignar com essa vida de merda mesmo, vivendo de favor em uma casinha emprestada dos sogros, sem a menor perspectiva de comprar ou sequer alugar um imóvel pra mim... meu carro foram os meus pais quem me deram, senão tava até hoje a pé ou andando na porra de um uno ou fiesta velho muito rodados, que é só o que eu poderia comprar.

Enfim, tem jeito não. Tem que continuar tentando, falam tanto nesse meio de concursos que tem que estudar até passar. Só me resta acreditar e continuar tentando ou morrer tentando. Se eu desistir é a mesma coisa que assinar a minha sentença de morte em relação a qualquer perspectiva de melhora no futuro e continuar parasitando sogros e meus pais.

E pensar que quando eu tinha uns 17 anos eu achava que com uns 26 eu já moraria no meu próprio imóvel, teria o meu carro... Ah, como eu queria dar uma surra no meu EU de 17 anos, eu diria a ele para não fazer porra de faculdade nenhuma e ficar estudando para concursos.


sexta-feira, 14 de abril de 2017

Shampoo Pantene Brilho Extremo funciona mesmo? [Resenha]



Olá, buscadores do milhão!

Vocês vão estranhar o post de hoje, haha! Eu quero falar sobre um shampoo que eu estou usando, mas antes vou explicar o porque vou fazer isso.

Para quem me lê a mais tempo, sabe que eu fiquei desempregado em abril do ano passado e, recentemente, fui chamado para trabalhar pelo Linkedin. No entanto, esse hiato entre o meu último emprego e o atual (ainda em fase de testes) foi de um ano. Durante esse tempo, além de estudar para concursos públicos e trabalhar com frilas, li alguns livros sobre desenvolvimento pessoal (que eu não resenhei aqui por motivos de "não tive saco").

Em vários destes livros (ou em um em particular, não me lembro), eles falam que um dos "segredos" do sucesso pessoal e profissional é a imagem que as pessoas têm de você. Antes de conhecermos as pessoas mais a fundo, uma das maneiras de fazer um julgamento destas e através da aparência. Então, para passar uma primeira boa imagem, a pessoa tem que, resumidamente (estou simplificando, tá?): 
  1. Estar bem-vestida
  2. Estar em boa forma física
  3. Estar com um corte de cabelo adequado e com os cabelos bem cuidados
  4. Estar limpa/cheirando bem (ou, no mínimo, não estar com uma aparência suja/fedendo   
Constatado isto, vi que eu precisava entra em uma academia para perder peso. Meu pai aceitou pagar a mensalidade para mim, graças a deus. Quanto as roupas, não achava que me vestia mal, mas sentia que às vezes ainda me vestia muito de forma adolescente, com camisas de bandas de rock, camisas de times de futebol ou de personagens de quadrinhos. Não parei de usar essas roupas, mas decidi pesquisar como combinar melhor as cores das roupas, os tipos de tecidos, os calçados, etc, e posso dizer que fiz algum progresso nessas áreas. Mas ainda faltava uma última coisa a ser melhorada: os cabelos!

Desde que eu entrei na faculdade, lá em 2005, eu comecei a ter entradas de respeito! E também começou a abrir um "buraco" no topo do couro cabeludo. Tenho uma falha lá. Para ter noção do tamanho, sabe aqueles chapéuzinhos de judeu Kipá? Então, um daquele tamparia perfeitamente a milha falha.

Chapéu de judeu Kipá
Esse daí já está de bom tamanho, mas poderia até ser um pouco menor, hehe!

terça-feira, 11 de abril de 2017

Me chamaram para trabalhar, e agora?

linkedin logo
Obrigado, empresa multinacional capitalista malvadona que me ajudou a conseguir um emprego
Estava eu feliz e contente seguindo a minha rotina de estudos quando recebo uma mensagem pelo Linkedin de uma empresa na minha cidade, situada em uma área nobre, dizendo que eu tinha os requisitos para um determinado cargo e perguntando se eu estava interessado em participar do processo seletivo. Ressalto que eu não estava procurando emprego nenhum, apenas frilas. Mas nunca cheguei a entrar em contato com essa empresa e nem mesmo sabia da existência dessa vaga.

Eu já tinha ouvido falar dessa empresa, me parecia uma boa empresa, e devido a natureza do convite (um cargo com uma rotina bem diferente do que eu vinha trabalhando nos últimos anos + a localização da empresa), resolvi aceitar participar do processo. O que eu perderia além de um pouco de tempo?

Pois bem, fui na tal empresa. Ficava em uma casa pequena e bonitinha de frente à avenida da praia. O processo foi um dos melhores, senão o melhor do qual eu já participei: uma prova (prova mesmo!) no papel, discursiva, dentro de uma sala com ar-condicionado, ao mesmo tempo que o meu concorrente (achei isso meio tosco, mas dane-se, cada um que cuide dos seus próprios nervos). Depois, um bate-papo rápido de uns 10 minutos no máximo, onde falaram mais da própria empresa do que eu falei de mim. Não fizeram nenhuma pergunta idiota do tipo "Qual o seu maior defeito?" Ou "Por que devemos te contratar?".

Isso foi numa sexta-feira. Na segunda-feira seguinte (AKA ontem), me ligaram perguntando o que eu tinha achado do processo seletivo deles (What?!? Nunca me perguntaram isso!) e se eu estava interessado em fazer um frila presencial para eles a título de teste, para ver se eu vou me adaptar ao trabalho. Mesmo se eu não for efetivado, serei pago pelo frila (pelo menos foi o que eles disseram né...). Achei uma ideia excelente, tanto para eles, que vão me testar, quando para mim, que vou ver se gosto de trabalhar com eles sem precisar assinar a carteira antes. O teste começa amanhã e vai até a sexta-feira que vem.

Tudo muito bom, tudo muito bem, o que me incomoda é que sei que essa empresa NÃO vai me dar um bom salário que me permitirá, no futuro, alugar ou comprar um imóvel ou fazer viagens internacionais, duas coisas que eu almejo muito (principalmente me mudar).

Isso tudo aí eu espero conquistar passando em um concurso público da área jurídica. O meu tempo para estudar vai diminuir, mas tá foda viver de dinheiro que meus pais me dão pra me ajudar e de dinheiro acumulado na poupança. O dinheiro é contado para o mês, não posso mais ir ao cinema (coisa que adoro), nem sair final de semana com os amigos, nem comprar os meus quadrinhos (to lendo muito scan, coisa que não gosto muito).

Enfim, não se pode ter tudo, não é mesmo? Provavelmente vou ter que sair da academia para poder ter mais tempo para estudar após o trabalho. Uma pena também sair da academia, vou engordar tudo de novo.

Mas é como diz aquele (novo) ditado: No pain, no gain.

Vamos ver que bicho dá.

segunda-feira, 3 de abril de 2017

Justin Bieber é proibido de fazer turnês mundiais


O cantor canadense (finalmente descobri algo de ruim sobre o Canadá) Justin Bieber foi proibido de fazer turnês mundiais após o show no Rio de Janeiro. O motivo você confere no vídeo abaixo.
 Hehehehehe!

sábado, 1 de abril de 2017

Fechamento do mês - março/2017

Patrimônio em março: R$39.318,18

Variação no mês: +0,40%

Variação no ano: +11,79%

Histórico: +3,72%

Aporte no mês: R$0,00  = (

Renda passiva em março: R$268,52



Olá, corredores da corrida dos ratos!

Apesar de, mais uma vez, não ter feito nenhum aporte e de MDIAS e HGRE11 terem tido quedas consideráveis este mês, mesmo assim eu fechei março com um leve crescimento patrimonial de 0,40%, graças as altas de CIEL3, UGPA3 e FAED11BB.

A renda passiva de março foi boa e vou finalmente aportar mês que vem alguns trocados. Como já tenho mais de 7k golpes em FAED11B e SDIL11 e as cotas de HGRE11 (meu limite é 5k por vez em cada FII, mas já valorizou tanto que passou esse valor) são caras demais pra mim no momento (são os únicos 3 FII'S que tenho), pensei em investir em RNGO11. Outra possibilidade é investir em TESOURO IPCA 2050+ Cupons.

O que pensam à respeito?

Sigo firme na academia, o resultado no meu corpo já é visível. Continuo estudando para concursos. Tem hora que fico muito motivado, tem hora que da vontade de largar tudo e procurar um emprego... ficar sem dinheiro é uma merda.

terça-feira, 28 de março de 2017

A polêmica da Amazon e os muros cinzas de São Paulo #kindleparaascrianças


Desde ontem, a Amazon Brasil começou a anunciar o seu leitor de livros digitais, o Kindle, através do Youtube. Para chamar a atenção das pessoas, resolveu, em sua campanha de marketing, projetar trechos de livros em muros da cidade de São Paulo. Até aí ok, ação bem bacana, se não fosse o fato do vídeo começar com uma pergunta com um tom quase de deboche: "Cobriram a cidade de cinza?"

A pergunta faz menção clara a atitude correta do Prefeito atual de São Paulo, João Dória, de apagar pichações e grafites ilegais espalhados pela cidade e apoiado em massa pela população. Dória nada fez além de seguir a lei.

Como a internet não perdoa, várias pessoas já acharam a sede da Amazon no Brasil e, VEJA SÓ VOCÊ, o prédio tem a fachada limpinha e cinza! Será que eles vão apreciar umas pichações e grafitis na fachada deles ou eles são hipócritas?

sede cinza da amazon no Brasil
Ei, Amazon, vamos tirar esse cinza feio da sua fachada, o que acha?
Como João Dória não é bobo, já respondeu à empresa e disse que, se ela gosta mesmo de São Paulo, que faça doações de livros para as bibliotecas e de computadores para as escolas municipais. Os internautas aumentaram o pedido criando a hashtag #kindleparaascrianças.

Eu, como cliente da Amazon desde antes dela chegar ao Brasil, fiquei indignado e mandei o seguinte email para a empresa:

Como cliente da Amazon, quero deixar claro o meu profundo descontentamento com a propaganda do Kindle.
É patético que uma empresa como a Amazon, que contribuiu na luta contra os preços abusivos de livros impressos e digitais, bem como dos leitores digitais, faça uma propaganda CONTRA a limpeza da cidade de São Paulo, apagando pichações e grafites ilegais. O atual prefeito nada fez além de cumprir a lei, coisa a qual estamos pouco acostumados aqui no Brasil.
Ah, eu sequer moro em São Paulo, mas acompanho com grande entusiamos a gestão do atual prefeito da cidade mais importante do Brasil.
Espero, sinceramente, depois da SAPATADA que vocês levaram como resposta do Prefeito, que vocês, no mínimo, façam doações de livros para as crianças da rede municipal da cidade. #kindleparaascrianças
Até o momento em que eu escrevo esse post, o vídeo postado no Youtube da Amazon tem 346 likes e 2.285 dislikes. Foi um tiro no pé da empresa?

A propaganda da discórdia:



Veja a resposta do Prefeito João Dória:


Repercussão nas redes sociais:




Alguns comentários do post acima:

amazon vs dória

segunda-feira, 27 de março de 2017

Os concursos públicos vão acabar com a PL da terceirização?

PL da terceirização e os concursos públicos
Muitos concurseiros acharam que era o fim do mundo a PL da terceirização

No último dia 22, foi aprovado na câmara dos deputados o projeto de lei 4302/1998 que tratava sobre a regulamentação do trabalho terceirizado. Não sei se por ignorância ou por mau-caratismo e politicagem, parecia o fim do mundo para quem deseja fazer concursos públicos. Tive que dar unfollow em vários grupos no Facebook sobre concursos porque viraram o caos. 

Variando entre o histerismo, o ódio e os raros sensatos, teve espaço até para a comédia involuntária. Vejam esse print.

Você viu a revolução passando pela rua? Nem eu.
Sem mais delongas, vamos ao que interessa: os concursos públicos vão acabar por causa da PL da terceirização?

quarta-feira, 22 de março de 2017

A nova realidade dos Concursos Públicos no Brasil


Quem leu o meu último post percebeu que ando em uma bad vide foda. A última prova de concurso público para a qual me dediquei meses a fio, a do TRF Região 2 foi um fiasco. Nem tanto por conta dos meus estudos, porque fiz o máximo possível, mas por causa da organizadora, a CONSULPLAN. Nada mais, nada menos, do que 10 questões com erros ou fora do edital, sendo que o edital era gigantesco e a prova tinha apenas 40 questões.

Marreco Tropa de elite 2
Quando me perguntam como eu fui na prova do TRF 2
Bem, ainda ando bem zoado da cabeça, enfiado dentro de casa a semana inteira e sem ter um puto no bolso pra nada. Eu, no alto dos meus 30 anos, formado e quase pós-graduado (larguei a pós depois de ser reprovado na última disciplina) estou tendo que pedir dinheiro aos meus pais pra poder pagar as minhas contas. Fracasso e humilhação definem.

Mas como não tem jeito, tenho que continuar estudando para concursos públicos. Só de pensar em voltar ao mercado de trabalho para ganhar 2k e ter que fazer entrevista e ficar um tempão preso no trânsito, passo mal. O jeito é me adaptar à nova realidade dos concursos públicos, especialmente no Rio de Janeiro.

A nova realidade dos concursos públicos




Que o Brasil passa por uma crise econômica, ou melhor, por uma crise de corrupção e incompetência administrativa, todo mundo já está careca de saber (a menos que você seja petista/psolista/comunista e afins que acreditam que a crise é culpa da extrema-direita, da CIA, da Globo, do FMI, dos EUA e da PQP), mas como isso afeta os concursos públicos?

Primeiro surgiu a falácia de que os concursos públicos iam acabar. Quem consegue juntar com cré sabe que isso é mentira, pois enquanto houver administração direta vai haver concursos públicos, mesmo que todas as empresas públicas e sociedades de economia mista sejam privatizadas (Banco do Brasil, Caixa Econômica, Petrobrás, Correios, Cedae, etc). O que pode ocorrer é a diminuição de vagas nesses órgãos, o que eu acredito até que seja salutar, pois já cansei de ler relatos de que uma pessoa que trabalhe direito no serviço público poderia fazer o serviço de três. Inclusive, já tive um amigo que levou uma chamada pois estava "trabalhando demais". Isso mesmo, meus amigos, "ta trabalhando muito, onde você pensa que está?".

Dito isto, os órgãos públicos do Brasil, especialmente do Rio de Janeiro, um dos estados mais quebrados financeiramente, estão cortando custos na hora de realizarem os seus concursos. Mas de que maneira, você me pergunta. Escolhendo bancas que prestam um serviço barato, como a própria Consulplan. São escolhidas através da modalidade pregão, que leva em conta apenas o preço do serviço e não a qualidade do mesmo. Aí já viu né, o barato sai caro, mas não para o Estado, mas para nós, concurseiros.

Como eu já relatei neste post, a Consulplan é uma banca que só tinha tradição de fazer concursos de prefeituras. As suas provas eram bem fáceis e com poucos candidatos. No entanto, pesquise sobre o atual concurso do TRF-2 e o concurso de TRE-MG 2015. Você verá vários relatos de concurseiros reclamando de falta de organização na hora da prova, despreparo dos fiscais, salas quentes sem ar-condicionado, nomes errados nas provas, questões com erro de digitação ou com conteúdo fora do edital, entre outros.

Além da Consulplan, acostume-se  com nomes como FUNECE, IBFC, QUADRIX, FUNCAB, FUMARC e AOCP (parece até o nome da empresa que criou o Robocop), entre outros pouco conhecidos. Existem grandes chances dessas bancas realizarem os concursos de órgãos visados, como os TRT's, TRE's, TRF's, TJ's e MPU, como já aconteceu nos exemplos citados do TRF 2 e TJ-MG.

O que eu faço para me preparar diante deste cenário?

Não há muitas opções. Eu vi um pessoal comentando que não faria mais concursos da Consulplan, tamanha a falta de respeito e incompetência desta banca. A opção é até atraente e eu cheguei a considerar fazer o mesmo. Mas pare e pense, você vai deixar de concorrer a uma vaga em um grande órgão público, como os Tribunais de Justiça, por exemplo, por causa da banca escolhida? Te garanto que um monte de gente vai tentar mesmo assim e, felizmente ou infelizmente, alguém vai ter que passar.

Ainda em relação a Consulplan, nem perca muito tempo fazendo exercícios dessa banca. Ela subiu muito o nível de dificuldade de suas provas a partir do TRF 2 e isso deve se repetir daqui para a frente, pelo menos quando ela realizar os certames de grandes órgãos. Estude por questões de bancas respeitadas, como a FCC, CESPE e FGV.

Já as outras bancas possuem um nível de dificuldade entre médio e avançado, variando conforme o cargo e o órgão em questão. Por exemplo, procure por questões de direito administrativo sobre a lei 8112/90 da banca FUNECE. Questões bem difíceis, não fica devendo em nada para a FCC, por exemplo. Ou seja, vale a pena resolver os exercícios dessas bancas para conhecer quais as matérias que eles mais cobram, se fazem pegadinhas, letra seca da lei, etc.

Resumindo



  • Não desista de fazer um concurso público porque a banca é ruim. Alguém vai ter que ser aprovado e por que não pode ser você?
  • Conheça a banca (com exceção da Consulplan), mas NUNCA deixe de estudar as questões de bancas tradicionais como FGV, FCC e CESPE;
  • Estude com o máximo de antecedência possível;
  • Tenha como objetivo de vida passar em um concurso público ou morrer tentando! Estamos no Brasil, não perca seu curto e precioso tempo de vida lutando contra o sistema, seja o sistema! Se não pode vencê-los, junte-se a eles.




quinta-feira, 9 de março de 2017

#HojeEuGostariaDe


Um post leve para relaxar depois da ressaca da prova desastrosa do TRF 2 feita pela banca Consulplan. Fala-se nos grupos de concursos públicos e nos cursos online em pedidos de anulação para 10 questões da prova (de um total de 40 + redação), sendo que a maioria dessas anulações foram por questões com matérias que estavam fora do edital.

O edital era gigante e um monte de coisa ficou de fora e a banca ainda tem a pachorra de colocar questões fora do edital... só de acessibilidade, que eram várias leis e decretos, não caiu NENHUMA questão e sustentabilidade apenas uma. Quem estudou o edital todo ou quase todo, como foi o meu caso, se ferrou. Ainda marquei questão errada na hora de passar as respostas pro caderno de respostas, marquei resposta certa na questão que era pra marcar a reposta errada... foi foda.

Mas não posso desistir porque não vejo nenhuma outra alternativa para mudar a minha vida financeira que não seja via concursos públicos. Já falei um pouco sobre a minha área de trabalho nesse post. Não me vejo empreendendo também.

Se for pra desistir de concursos, melhor me matar logo ou me sujeitar a viver ganhando 1800k pro resto da vida, ou melhor, até ninguém querer mais me dar emprego porque tem um monte de jovens mais bem preparados que eu aceitando ganhar muito menos (sim, hoje estou em uma vibe totalmente deprê).

Então, hoje vou aproveitar a hashtag #HojeEuGostariaDe que está bombando no Twitter para fazer um post besteirol e ver se arejo um pouco a cabeça.

hoje


#HojeEuGostariaDe

segunda-feira, 6 de março de 2017

Qual é a banca mais parecida com a CONSULPLAN?


Muita gente ficou quebrando a cabeça quando o TRF 2 (Tribunal Regional Federal da Segunda Região - RJ e ES) anunciou que a banca que iria realizar o seu concurso de 2017 seria a Consulplan. Muita gente nunca tinha ouvido falar dela, pois trata-se de uma banca de pouca tradição e que geralmente só realiza concursos pequenos, como de prefeituras do interior e pequenas empresas públicas.

Já que a Consulplan realizou o tão aguardado concurso do TRF 2 (só para vocês terem noção, o salário inicial de técnico administrativo, que só precisa de segundo grau, é de R$6.167,99), que não era realizado desde 2012, é seguro afirmar que provavelmente ela realizará outros concursos de grandes órgãos da administração pública brasileira.

Ou seja, é hora de entender como funciona a cabeça dessa banca para se preparar para futuros certames, focando nos conteúdos que mais caem em cada disciplina.

Apesar do concurso TRF 2 2017 ser o primeiro grande concurso realizado pela Consulplan, ela já realizou, esporadicamente, outros concursos relevantes, tais como:

  • TSE 2012 
  • TJ/MG 2016
  • TRE/MG 2015
Banca Consulplan

Como é o estilo da Consulplan? As provas são difíceis?

Não. É uma banca mais objetiva, como a CESPE E A FCC, mas sem os textos enormes desta e sem as questões de múltipla escolha, onde uma errada anula uma certa, como a primeira. Também não costuma criar "invencionices" nas questões de português como a FGV.

Resumindo: A Consulplan usa textos curtos em suas questões, é bem direta ao ponto, cobra muito letra seca da lei e não costuma cobrar jurisprudências do STF, STJ, etc. Suas questões sempre tem apenas quatro alternativas, contra cinco da maioria da bancas.

Estudar baseado nas questões da Consulplan é um pouco complicado, porque tirando português, há poucas questões de cada disciplina disponíveis para estudarmos em sites como o Qconcursos, especialmente de Código de Processo Civil, que foi atualizado em 2015, deixando todas as questões de anos anteriores obsoletas.

Então a dica é: estude através de questões da FCC, que cobra muito lei seca, e da CESPE, para ficar atento a pegadinhas, principalmente onde o avaliador escreve um trecho inteiro da lei certinho, mas muda uma palavra só, tornando a assertiva completamente errada.

Evite usar questões da FGV de português, pois a FGV tem umas abordagens bem específicas que só ela usa. Tanto a FCC quando a CESPE têm um nível de dificuldade mais elevado que a Consulplan, então estudando por questões dessas duas bancas você estará bem preparado para a sua prova.

quinta-feira, 2 de março de 2017

Fechamento - Fevereiro/2017

bufunfa

Patrimônio em fevereiro: R$39.161,33

Variação no mês: +7,46%

Variação no ano: +21,13%

Histórico: +3,3%

Aporte no mês: R$0,00  = (

Renda passiva em janeiro: R$213,07



Olá, corredores da corrida dos ratos!

Pela primeira vez, desde que eu comecei a investir há 4 anos atrás, eu fiquei com a minha rentabilidade histórica positiva pela primeira vez! Aeeeeeeee caray, feladapóta!

Isso se deve ao contínuo crescimento das minhas cotas de fii e as valorizações das minhas ações de ITUB e MDIAS e também com meus títulos do Tesouro Direto. Esse mês foi ótimo, uma pena que, novamente, não deu para aportar. Meu patrimônio cresceu R$2654,78 no mês sem eu colocar nem mais um real sequer. Essa sensação é muito boa!

A previsão para março é de continuar sem dinheiro novo para aportes, então vou esperar juntar os dividendos, aluguéis e cupons para aportar, provavelmente no TD.

Em relação a vida pessoal, sigo firme e forte na academia, já notei uma diminuição no panceps e o ganho de massa muscular. Na semana antes do carnaval consegui treinar todos os dias, estou aumentado os pesos bem rápido, mas não acho que estou crescendo na mesma proporção. Talvez eu não esteja ingerindo proteínas o suficiente.

Também sigo estudando forte para concursos públicos. Tenho uma prova hardcore neste domingo, espero me sair bem. Desde a época do vestibular que eu não estudava tanto.

O carnaval foi bom, não consegui ir em nenhum bloco, mas fui à praia, muito churrasco com os amigos e a família, bebi e comi muito e gastei pouco. Não posso reclamar de nada, o carnaval 2017 foi bom, bonito e barato!

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

É possível ser colecionador e minimalista ao mesmo tempo?

Olá, corredores da corrida dos ratos!

Desde que eu comecei a me interessar um pouco mais sobre minimalismo através do blog do corey (que, por sua vez, me levou a outros blogs e sites), eu comecei a me perguntar se era possível ser minimalista e, ao mesmo tempo, ser um colecionador de quadrinhos, livros, miniaturas, estatuetas, etc, como é o meu caso.

Primeiro é importante dizer o que NÃO é o minimalismo, pelo menos da maneira como eu entendo: minimalismo não é você viver com pouco, de forma espartana ou viver igual um mendigo, minimalismo é você viver com o necessário, somente o necessário, o extraordinário é demais.  



Dito isto, comecei a perceber que eu tinha muitas coisas que eu já não gostava mais ou simplesmente não me importava mais. Estava aqui em casa só gastando espaço e empatando dinheiro. O que eu fiz?

Algumas coisas que tinham um valor monetário maior, como estatuetas e miniaturas, eu vendi no Mercado Livre. Teve uma que eu trouxe de fora que eu vendi até com lucro, pois tinha comprado quando o dólar estava lá pelos 2 e pouco.

Achei o máximo quando eu comprei. Enjoei e revendi com lucro.
Livros: troquei pelo sistema PLUS do Skoob e ganhei créditos para trocar por outros livros que eu ainda não tinha lido. Para quem não conhece o sistema, funciona mais ou menos assim: você cadastra o livro que você quer trocar e pede por ele um ou dois pontos. Uma outra pessoa vai solicitar o livro e te dar os pontos quando o livro chegar na casa dela, então você terá pontos para solicitar o livro de outra pessoa. Até hoje já enviei 21 livros pelo skoob e já recebi 16 17 (recebi mais um enquanto escrevia esse post).

Quadrinhos: também troquei pelo Skoob ou, se tinham um valor razoável, vendia pelo Mercado Livre. O registro módico para impressos ajuda a baratear o frete. Também doei, via grupos de Facebook, vários quadrinhos mensais que tem pouco valor de revenda e de colecionismo. Muitos mesmo, deve ter sido uns 100. A pessoa que recebia só precisava pagar o frete. Achei melhor fazer isso, apesar de ter me dado trabalho, do que ter doado a uma biblioteca que ia tratar os meus quadrinhos como lixo.

DVD's e Blu-rays: acreditem se quiser, ainda tem gente que coleciona isso. Algumas edições de colecionador eu vendi pelo Mercado Livre por um bom preço, outras eu praticamente doei, praticamente porque vendi a preços irrisórios, só cobrindo os gastos com frete e embalagem. Ainda assim, tenho uma quantidade considerável de DVD's e BD's. Talvez um dia eu me de ao trabalho de procurar alguém para doar.

Hoje em dia eu nem compro mais estatuetas e miniaturas. Fiquei só com algumas que eu gosto bastante. Livros eu praticamente não compro mais, pego de graça na internet. Quadrinhos ainda compro porque não gosto de lê-los na tela do PC, tablet, Kindle, acho chato, perde-se muito da arte e de segurar o quadrinho na mão e depois tê-lo lá na estante! Mas os que eu sei que eu não vou ler mais, eu troco pelo Skoob.

Update: Conversando com o Nerd Investidor nos comentários deste post, ele tocou em um assunto que eu esqueci de comentar, videogames! Já faz muito tempo que eu não compro NENHUMA mídia física de jogo. Compro tudo online na LIVE e no STEAM, pago mais barato e não acumulo nada comigo! Outros bônus: a mídia física não estraga e ninguém me pede jogo emprestado!

O que vocês acham? É contraditório colecionar coisas e tentar ser minimalista?


domingo, 19 de fevereiro de 2017

Brasileiros criam robô anticorrupção

Será que o Brasil tem jeito?

Às vezes eu cometo o erro de achar que tem... 

exemplos como a lava-jato, a gestão do Dória em São Paulo e agora essa iniciativa, intitulada "Operação Serenata de Amor", de um programador gaúcho de 23 anos de idade chamado Irio Musskopf me dão essa fugaz esperança.

operação serenata de amor


Reparem que um cara, praticamente sozinho e com um pequeno crowdfunding, conseguiu construir um sistema que fiscaliza os gastos dos nossos ilustrississíssimos deputados federais. Vai me dizer que não dava para o próprio congresso fazer um projeto desses? Claro que dava, mas não há interesse. Lembrando que é o congresso, com o auxílio do Tribunal de Contas da União, é quem deve fiscalizar o Poder Executivo. Who watches the watchmen? 

Coincidentemente, eu bem vi esse projeto no Catarse essa semana e tinha ficado de pesquisar mais sobre para, quem sabe, fazer uma doação a eles.

Leia um trecho da matéria que saiu semana passada no Estadão.

No desenho animado ‘Os Jetsons’, sucesso na década de 1960, a robô Rosie ajudava a família futurista a administrar a casa. Agora, um algoritmo criado no Brasil – que ganhou o mesmo nome em homenagem ao desenho animado – enfrenta um desafio ainda maior: manter o País em ordem. Criado pelo programador gaúcho Irio Musskopf, de 23 anos, a Rosie analisa os gastos de políticos durante seus mandatos. Ela já identificou quase R$ 380 mil em notas fiscais irregulares, que levaram a denúncias contra mais de 200 deputados federais.
“Durante as eleições municipais do ano passado, comecei a pesquisar e a analisar informações dos candidatos à prefeitura para escolher em quem votar”, conta Musskopf, em entrevista ao Estado. “Logo percebi que esse tipo de análise poderia ser feita em larga escala, por uma inteligência artificial.”

Para quem quiser ler a matéria completa do Estadão, é só clicar aqui.

Para quem quiser apoiar, aqui está o link do Projeto Operação Serenata de Amor no Catarse.


Temo pela vida do criador desse projeto caso ele vá adiante e comece a incomodar muito nossos nobres deputados...

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Uma pequena pausa para entrar no Facebook e me arrepender

Essa eu preciso desabafar...

Estava eu estudando, já cansado mentalmente, e resolvi ler alguma bobagem para relaxar. Ora, qual é o antro de bobagens da internet? Facebook. E, contrariando o que eu disse no último post, lá vou eu para a rede do Zuckerberg.

Assim que eu entro, me deparo com um dos meus amigos compartilhando esse singelo post.

Fan page nordeste livre



Randolfe Rodrigues e Lindberg Farias

É f*da, viu? Tudo pra esses caras é resolvido com mais imposto! Como diria o Chaves do oito:

"só não são mais burros por falta de espaço!"

Qual será o efeito lógico disso?

Vai aumentar o preço da mensalidade de serviços como o Spotify, mais gente vai cancelar os serviços e mais gente vai baixar mp3 ilegalmente. E absolutamente NINGUÉM vai comprar mais cd's por causa disso! PUTAQUELOSPARIU!

No fim das contas, esse tipo de "ideia" só prejudica ainda mais a população e ajuda os políticos, que terão mais dinheiro para roubar.

Não ajuda as gravadoras e artistas, pois esses, sem têm ao menos dois neurônios, já estão ganhando dinheiro com Youtube e serviços de streaming, e nenhuma loja hoje em dia vive de vender CD's e DVD's (com exceção de uma loja em um grande shopping center da minha cidade, que eu desconfio que seja lavagem de dinheiro, porque não há outra explicação!).

Para arrematar, ainda perco tempo procurando notícias sobre essa jeguice, que eu não posso fazer nada a respeito (além de xingar muito no feice), e sigo perdendo tempo de estudo ou relaxamento.

E preparem-se: Ciro Gomes 2018 vem aí!

[/mimimi]

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Uma semana fora do grupo de amigos no WhatsApp

Olá, competidores da corrida dos ratos!

Faz um pouco mais de uma semana que saí do grupo de amigos no WhatsApp. O motivo que eu aleguei era que uma importante prova de concurso público, a qual eu vou prestar, estava chegando e eu precisava me concentrar nos estudos. Me despedi, jurei que voltava e saí do grupo.

Realmente o motivo era real, vou fazer a prova de um grande concurso mês que vem e queria perder menos tempo no WhatsApp. Passada a prova a minha intenção era voltar. ERA. Não pretendo voltar mais a esse grupo.

grupo de amigos whatsapp


Por que não, MIN?

Porque está melhor assim. Perco menos tempo com bobagens, o meu dia a dia fica mais leve. Exagero meu? Não. O meu grupo de amigos, dia sim, dia não, discutia política, religião, aborto, feminismo, fora a quantidade industrial de memes e vídeos compartilhados! São assuntos que me interessam, mas que estavam me fazendo mais bem do que mal devido a alta quantidade e frequência. Não dizem que a diferença entre o veneno e o remédio é a dosagem? Pois é...

Às vezes que ficava algumas horas offline, estudando ou cuidando da vida, e quando ligava a internet do celular eram 100, 200 mensagens. Já teve uma vez que pipocaram, de uma só vez, mais de 400 mensagens! E eu lia tudo! Não era saudável.

grupo de amigos whatsapp

Um pouco antes, também encerrei a minha conta no Twitter. Até gostava dessa rede social, mas perdia muito tempo nela e praticamente tudo que tem nela tem também no Facebook e no Instagram, então passei o facão nela.

Facebook é um negócio também que cada vez entro menos. Se não fossem por grupos e páginas sobre assuntos específicos no qual eu tenho interesse, tinha saído também. Descurti muitas páginas que eu seguia, especialmente ligadas à política ou ao mercado de comunicação. Do Instagram eu tenho gostado mais porque os assuntos são mais amenos, os comentários das postagens têm pouco destaque e eu uso como álbum de fotos, quase como um backup das minhas foto preferidas.

Tenho preferido passar o meu tempo online lendo blogs, que tem um conteúdo bem mais interessante, de vários assuntos. Inclusive, fiquem à vontade para me indicar algum blog que vocês gostam de ler aqui nos comentários.

Em tempo: todos eles ainda continuam meus amigos, só não desejo estar em constante discussão sobre "N" assuntos 24h por dia. Ainda continuo usando o WhatsApp normalmente, inclusive não saí do grupo de vídeos XXX, hehehe!

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Consegui finalmente!

Inspirado pelo documentário Happy (falei sobre ele e, inclusive, postei o documentário inteiro para assistir aqui), onde pesquisadores concluíram que esportes e forte laços sociais são elementos importantes para uma vida feliz, resolvi tentar fazer algo que há muito tempo eu tinha vontade de fazer, mas nunca conseguia por diversos motivos: juntar alguns amigos e jogar basquete, um esporte que eu gosto muito. E finalmente consegui jogar no sábado passado!

Vocês devem imaginar a dificuldade de conseguir jogar qualquer tipo de jogo coletivo, especialmente basquete! Além do trabalho de conseguir mobilizar um número mínimo de pessoas (nesse caso, 4, contando comigo, o que ainda seria um número bem baixo) ainda há o trabalho de conseguir um lugar para jogar, com cestas minimamente decentes. Eu só consegui porque um amigo meu que topou jogar mora em um condomínio de luxo (pelo menos na minha opinião) e lá, milagrosamente, tinha uma quadra de cimento com cestas bem conservadas e até bebedouro com água gelada!

Curiosamente, a epifania de tentar juntar uma galera para jogar veio enquanto eu estava na academia malhando. Eu ficava pensando "Po, to aqui fazendo esteira, puxando ferro, me aprimorando fisicamente, mas não tem nenhum esporte pra praticar, que saco". Daí lembrei-me de um colega que conheço a relativamente pouco tempo (um "laço fraco" segundo o livro O Poder do Hábito, que acabei de ler), namorado de uma amiga minha, e resolvi ver se ele tinha alguma "pelada" já estabilizada no círculo social dele. Ele disse que não tinha, mas ele já tinha ficado empolgado com a ideia de jogar, daí chamei ele e joguei a ideia no grupo de whats app consegui mais dois candangos pra jogar, o meu irmão e esse meu amigo do condomínio, o que foi um grande adianto, senão eu teria que ir lá na casa da caralha pra conseguir jogar em uma quadra pública.

Enfim, passado o perrengue de conseguir uma bomba de ar para encher as bolas (e muitas piadas de duplo sentido depois), nós finalmente conseguimos jogar e, inesperadamente, surgiram uns muleques da casa em frente, que estavam em uma festa de aniversário de criança e ficaram olhando fissurados pra gente jogando. Eles foram chegando de mansinho, batendo bola (estávamos jogando em meia quadra) até que pediram pra jogar com a gente. Foi um alívio, porque estávamos morrendo jogando 2x2, morrendo de tanto correr e de calor também. Os garotos eram novos, entre 10 e 16 anos e jogavam bem até! O jogo ficou mais técnico e menos corrido depois disso e bem mais divertido também porque a zoação rolou solta!

No fim das contas, essa história saiu muito melhor do que eu esperava! Vou fazer o possível para "institucionalizar" essa "pelada" ao menos uma vez por mês e também tentar chamar mais gente pra jogar.

E tudo isso só foi possível (além do supracitado amigo do condomínio), ou melhor dizendo, isso tudo só ocorreu porque eu assisti a um documentário e também porque eu estava fazendo atividade física, o que deve ocasionado uma descarga que dopamina no meu cérebro que me deu ânimo suficiente para ficar uma semana organizando essa pelada.



quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

Fechamento Janeiro/17

Patrimônio janeiro: R$36.506,55

Variação no mês: +3,61%

Variação no ano: +3,61%

Histórico: -3,87%

Aporte no mês: R$150,00  = (

Renda passiva em janeiro: R$166,79

Neste mês de janeiro fiz algumas mudanças na minha carteira. Vendi algumas ações e comprei MDIA3, finalmente chegando a formação que julgo ideal para a minha carteira de ações, totalizando 4 ações (CIELO, ITUB3 e UGPA3 completam o time). Sim, eu sei que são poucas ações, mas eu também invisto em 3 FII's e em 3 tipos de letras do tesouro diferentes.

Para quem não tem nem R$50.000 acho que ta bem diversificado. Só vou pensar em ter outra ação que não dessas quatro empresas quando eu tiver lá pelos 100k de patrimônio. No entanto, no meio do caminho devo escolher mais alguns FII.

Aportei apenas R$150 golpes (bwahahaha, adorei essa expressão!) e devo ficar apenas reinvestindo dividendos até conseguir passar em algum concurso público.

Na vida pessoal, comecei a malhar em uma boa academia. Eu bem que já estava querendo há algum tempo, mas eu não queria ter mais despesas. Meu pai se dispôs a pagar para mim desde que eu levasse e acompanhasse a minha mãe à academia todo dia. Ele preferiu pagar para mim do que ele mesmo ir lá malhar e acompanhar ela, rsss! Apesar da preguiça inicial (foram uns 3 anos de total sedentarismo) já peguei o gosto pelo exercício físico novamente e estou gostando até mesmo de correr na esteira, coisa que eu sempre detestei!

Um dos motivos de eu estar gostando disso agora é que, pela primeira vez, eu tenho um bom smartphone. Abro o spotify, coloco numa playlist boa e as músicas vão empolgando para correr. Se não fosse pelas músicas eu não teria saco de fazer nem 10 minutos de esteira.

Graças à atividade física e também a um documentário que assisti (chama-se Happy, escrevi a respeito aqui), estou tentando colocar em prática uma ideia que eu já tinha há algum tempo: tentar jogar basquete regularmente. Ainda estou organizando, vamos ver se consigo fazer tornar-se realidade.

Também tomei uma decisão importante e resolvi voltar a morar com os meus pais. Acabou o meu auxílio-desemprego e ta muito pesado segurar as contas só com os meus frilas. Não sei se minha esposa vai morar comigo, vamos ver. Se ela não for, vai ficar com os pais dela.

Estou me sentindo confiante para o meu próximo concurso público, que será em março a prova. Talvez eu não me classifique entre os primeiros porque a concorrência está muito acirrada, mas sinto que estou no caminho certo da aprovação. Vamos ver...

mulher correndo na academia
O lugar onde eu corro parece com esse, só não tem essa bela paisagem, hehe!



domingo, 29 de janeiro de 2017

"Happy": A ciência explica a felicidade

Assisti ontem ao documentário Happy (2011), disponível na Netflix e também no Vimeo (assista na janela abaixo). Basicamente, esse documentário se propõem a relatar os resultados de estudos sobre a felicidade. Não vá esperando aquelas coisas "sorvete na testa" de auto-ajuda, o documentário é sério, ou pelo menos foi essa a impressão que eu tive.

HAPPY- Documentário Sobre a Genuína Felicidade from Rangel Lerbach Jr on Vimeo.

Primeiro, os pesquisadores explicam o que é a sensação de felicidade sob o ponto de vista do corpo humano. É uma injeção de dopamina direto em nosso cérebro que causa a efêmera e perseguida sensação. Depois dessa explicação, eles rodam o mundo procurando os motivos que fazem os mais diferentes tipos de pessoas felizes.

Eles vão ao Brasil entrevistar um surfista pobre, vão a uma vila no japão cheia de mulheres viúvas e muito idosas, vão à Dinamarca conhecer pessoas que moram em moradias coletivas, vão aos Estados Unidos conversar com uma mulher que teve o rosto desfigurado por um acidente de carro, ao Japão conhecer a família de um homem que morreu de tanto trabalhar, tanto que a sua filha mal o reconhecia. E esses são só alguns casos.

Os relatos dessas pessoas fizeram os pesquisadores concluírem que, ao contrário do que muitos pensam, glória, fama e dinheiro não são garantias de felicidade, muito embora eles também reconheçam que pessoas muito pobres, em média, tendem a ser menos felizes do que pessoas que ganham o suficiente para viver com algum conforto. Eles até citam valores, mas não me lembro deles. Acho que quem vivia com 50 mil dólares por ano era mais feliz do que quem vivia com 5 mil dólares por ano, mas pessoas que viviam com 5 milhões de dólares por ano não eram muito mais felizes, ou até mesmo eram mais infelizes, do que quem vivia com 50 mil.

O que faz as pessoas felizes, segundo este estudo, é o seguinte:

  • Praticar esportes;
  • Viver perto da família e amigos;
  • Dedicar-se aos outros;
  • Cuidar da sua comunidade ou tentar fazer do mundo um lugar melhor;
  • Ter um sentimento de pertencimento a algum grupo;
  • Ter um trabalho ou hobby que te traga contentamento;
  • Ter fé.
Um dos relatos é de um Europeu que foi para a Índia fazer trabalho voluntário em uma "casa de moribundos" (eu nem sabia que isso existia) e lá sentia-se feliz em fazer o final da vida de pessoas pobres e em estágio terminal menos sofrido, com simples ações como dar-lhes um copo d'água. No Brasil, entrevistaram um coroa pobre que more em uma casa humilde no meio do mato, mas que ama surfar, mesmo que não tenha uma "vida de doutor", segundo o mesmo, pois já é feliz com o que tem.

Veja, o documentário não diz que você deve largar tudo e ser pobre para ser feliz, mas que não devemos acreditar que a felicidade está na constante busca do MAIS, MELHOR, MAIOR que a sociedade de consumo vende (mais fama, o melhor celular, o carro mais potente, peitos maiores, mais jóias, melhores roupas, a maior casa, etc). E, por favor, também não achem que é uma crítica ao capitalismo, mas apenas uma maneira diferente de enxergar as coisas, o que pode ser muito óbvio para alguns, mas não para todos.

Praticar esportes: Fiquei pensando em como mudar a minha vida a partir dos resultados dessa pesquisa. Já comecei esse mês a praticar esportes, pois voltei à academia. Não é o mais legal dos esportes, mas é o que tem pra hoje, e já sinto o resultado no corpo, o que impacta diretamente na auto-estima. Quanto à família e amigos, sempre faço o possível para ficar perto deles.

Trabalho: Em relação a trabalho, eu desisti de trabalhar na área de comunicação para estudar para concursos públicos, pois estava infeliz com as práticas desse meio e também com o salário. Vou ser mais feliz sendo concursado? Quando eu passar descobrirei.

Cuidar da comunidade: não cuido da minha comunidade. Moro em um lugar cheio de gente escrota, com uma prefeitura escrota. Já mandei emails, ligações e mensagens em redes sociais com sugestões e reclamações e nunca vi moverem uma palha para mudarem as coisas que apontei e não vejo as pessoas empolgadas em melhorarem o meio ondem vivem. Reclamam muito, mas no fim do dia, cada um só quer cuidar da sua vida. Não sei o que fazer em relação a isso.

Um exemplo dos vizinhos que eu tenho: uma vizinha coloca fogo no mato quem tem no quintal dela, com preguiça de catar e colocar no lixo. E parece que ela espera nós lavarmos roupa para botar o fogo e sujar a porra toda. Ela também adora colocar fogo quando ta quente pra caralho, fazendo a gente fechar as janelas e ficar dentro de um forno! Incrível que ela mesma ta com roupa no varal e coloca fogo. Refiro-me a ela carinhosamente como "favelada" quando falo com a minha esposa.

O outro vizinho é PM, anda de C4 Pallas (como ele banca esse carro com salário de PM?) e oferece "pneus usados" para quem quiser comprar... tem também uma igreja evangélica, dessa que as pessoas gritam igual loucas. Já tive também como vizinho uma "casa de festas" que ia até de madrugada com todo tipo de lixo musical que você possa imaginar, tocando a música tão alta que fazia até as janelas da minha casa tremerem. Vai vendo... eu vou ajudar essa gente? Quero que se FODAM para aprenderem a não sacanearem os outros!

Dedicar-se aos outros: também não sei como, pensei em trabalho voluntário, mas não tenho muita paciência para lidar com gente. Penso que, talvez, se eu conseguir passar em um bom concurso, eu poderia ajudar os outros que querem passar também, dando dicas de planejamento, motivação. Mas pra isso tenho que passar primeiro.

Hobby: gosto muito de ler e colecionar livros e quadrinhos, e isso me traz contentamento.

Ter um sentimento de pertencimento a algum grupo: Nesse caso, entendi que está relacionado a um grupo com o qual você se relaciona diretamente, como um grupo de igreja, de moradores do bairro ou de pelada no fim de semana. Nesse quesito, fracasso total. Talvez me de bem com o pessoal da academia, mas pela minha experiência, academias não são os melhores lugares para se relacionar com as pessoas. Não tenho muita esperança quanto a isso e nem sei o que fazer a respeito.

Pensando bem, até que esse blog me ajuda um pouco com essa sensação de pertencimento a um grupo, mas é tudo virtual, não é a mesma coisa de conhecer as pessoas pessoalmente.

Ter fé: Não acredito em religião alguma nem em nada sobrenatural. Fiz catequese, já fui a centro espírita, candomblé, e nada disso me "tocou", digamos assim. Uma pena, pois se acredita-se em algo do tipo a minha vida seria mais fácil, acho.

Estou pensando em voltar a doar algum dinheiro, mesmo estando em um perrengue de grana. Pouca coisa, 5, 10 golpes temers, pois já fiz isso antes e me senti bem. Falta escolher para quem doar. Também queria colocar algum esporte mais coletivo na minha rotina, mas ta difícil. As pessoas não têm tempo, disposição, não tem lugar para praticar, e por aí vai.

Enfim, era mais ou menos isso que eu queria falar. Desculpem-me se o texto teve muitos erros ou ficou muito truncado. Não quis parar muito para ficar corrigindo ou relendo, só quis deixar as palavras e pensamentos fluírem.

E você, o que tem feito para ser feliz?